Se está à espera de motivos e argumentos para não autorizar ou disponibilizar acesso às suas crianças ao mundo digital, deixem-me informar que o objetivo deste texto não vai de encontro a essa finalidade.

Quantas vezes já demos por nós a pesquisar no google pela solução para os nossos problemas ou a navegar sem limites em redes sociais para queimar tempo?

É verdade que a internet é uma biblioteca ilimitada, com uma facilidade de acesso para qualquer um. Conhecer os benefícios desta ferramenta é fundamental para a promoção de um desenvolvimento saudável da criança e da relação parental.

Mais que riscos estão relacionados com o uso da internet?

Um dele é a Manipulação de Identidade. Quantas vezes somos confrontados com perfis ou pessoas desconhecidas em redes sociais, com receio de que essa pessoa seja alguém não confiável? Para nós é simples compreender isso e não aceitar esse tipo de amizades digitais, no entanto, grande parte das crianças não têm esse filtro.

Este tipo de situações pode acontecer em redes sociais, videojogos, aliciando a criança com múltiplos reforços do mundo digital. A solução mais credível para esta questão, não se trata da proibição do uso, visto isto se tornar um estímulo para a utilização compulsiva em contexto desadequado.

O que fazer para diminuir a possibilidade deste risco?

1) – Combinar com os amigos presencialmente, quando vão fazer o pedido de amizade ou as horas em que vão jogar juntos, ou seja, planear as atividades do mundo digital.

2) – Sempre que sentir algum tipo de dúvida, dar acesso ilimitado a questões das crianças para as orientar nas suas dúvidas, pois o ponto de guia e orientação facilitará a criança a sentir-se confortável e a deixar os seus tutores fazerem parte do seu mundo digital.

3) – Disponibilizar tempo para aprender de forma autodidata as temáticas que a criança aborde, isto porque ninguém gosta de tentar explicar algo de que gosta muito a alguém que desvaloriza completamente os nossos interesses.

Outro risco é a Adição aos videojogos. Um temática por vezes mal compreendida, mas é importante conhecer os prós e contras da utilização destes jogos. O grande risco desta utilização está no fator de que sendo grande parte das empresas especializadas em criar estratégias de adição, criando atividades constantes que limitem ao utilizador de ter tempo para pensar ou agir de forma funcional no seu dia-a-dia. De seguida, apresentamos algumas sugestões de segurança para a criança aceder aos jogos.

  • Criar um horário específico para a criança poder relaxar e aproveitar o seu tempo com os seus colegas de forma digital;
  • Tente juntar-se à criança e jogar com ela, elogiando diante dos outros e dos obstáculos que existem no jogo;
  • Tente aconselhar a criança a não jogar jogos que disponibilizam a compra de itens com dinheiro real, pois esses têm tendência a promover a competitividade e comparação com intuito de despender monetariamente as suas conquistas dentro do mundo virtual (Fortnite, Fifa, etc…)

Existem imensos jogos didáticos e que promovem o desenvolvimento de competências, como por exemplo, Minecraft, Sims, Animal Crossing, It takes Two, entre outros. Estes jogos servem informação para o futuro, tornando-se uma aprendizagem lúdica, com a vantagem de o fazer em modo multi-jogador.

Também é vital informar que existem imensas publicações por parte das autoridades competentes (GNR e Polícia), nas suas redes sociais sobre os perigos da utilização da internet. Aconselhamos a todos que subscrevam essas redes para estarem alertas sobre possíveis riscos existentes e se precaverem.

Psicóloga Júnior – Filipa Canoso

Se está à espera de motivos e argumentos para não autorizar ou disponibilizar acesso às suas crianças ao mundo digital, deixem-me informar que o objetivo deste texto não vai de encontro a essa finalidade.

Quantas vezes já demos por nós a pesquisar no google pela solução para os nossos problemas ou a navegar sem limites em redes sociais para queimar tempo?

É verdade que a internet é uma biblioteca ilimitada, com uma facilidade de acesso para qualquer um. Conhecer os benefícios desta ferramenta é fundamental para a promoção de um desenvolvimento saudável da criança e da relação parental.

Mais que riscos estão relacionados com o uso da internet?

Um dele é a Manipulação de Identidade. Quantas vezes somos confrontados com perfis ou pessoas desconhecidas em redes sociais, com receio de que essa pessoa seja alguém não confiável? Para nós é simples compreender isso e não aceitar esse tipo de amizades digitais, no entanto, grande parte das crianças não têm esse filtro.

Este tipo de situações pode acontecer em redes sociais, videojogos, aliciando a criança com múltiplos reforços do mundo digital. A solução mais credível para esta questão, não se trata da proibição do uso, visto isto se tornar um estímulo para a utilização compulsiva em contexto desadequado.

O que fazer para diminuir a possibilidade deste risco?

1) – Combinar com os amigos presencialmente, quando vão fazer o pedido de amizade ou as horas em que vão jogar juntos, ou seja, planear as atividades do mundo digital.

2) – Sempre que sentir algum tipo de dúvida, dar acesso ilimitado a questões das crianças para as orientar nas suas dúvidas, pois o ponto de guia e orientação facilitará a criança a sentir-se confortável e a deixar os seus tutores fazerem parte do seu mundo digital.

3) – Disponibilizar tempo para aprender de forma autodidata as temáticas que a criança aborde, isto porque ninguém gosta de tentar explicar algo de que gosta muito a alguém que desvaloriza completamente os nossos interesses.

Outro risco é a Adição aos videojogos. Um temática por vezes mal compreendida, mas é importante conhecer os prós e contras da utilização destes jogos. O grande risco desta utilização está no fator de que sendo grande parte das empresas especializadas em criar estratégias de adição, criando atividades constantes que limitem ao utilizador de ter tempo para pensar ou agir de forma funcional no seu dia-a-dia. De seguida, apresentamos algumas sugestões de segurança para a criança aceder aos jogos.

  • Criar um horário específico para a criança poder relaxar e aproveitar o seu tempo com os seus colegas de forma digital;
  • Tente juntar-se à criança e jogar com ela, elogiando diante dos outros e dos obstáculos que existem no jogo;
  • Tente aconselhar a criança a não jogar jogos que disponibilizam a compra de itens com dinheiro real, pois esses têm tendência a promover a competitividade e comparação com intuito de despender monetariamente as suas conquistas dentro do mundo virtual (Fortnite, Fifa, etc…)

Existem imensos jogos didáticos e que promovem o desenvolvimento de competências, como por exemplo, Minecraft, Sims, Animal Crossing, It takes Two, entre outros. Estes jogos servem informação para o futuro, tornando-se uma aprendizagem lúdica, com a vantagem de o fazer em modo multi-jogador.

Também é vital informar que existem imensas publicações por parte das autoridades competentes (GNR e Polícia), nas suas redes sociais sobre os perigos da utilização da internet. Aconselhamos a todos que subscrevam essas redes para estarem alertas sobre possíveis riscos existentes e se precaverem.

Psicóloga Júnior – Filipa Canoso

Leave A Comment